Latest Entries »

Pegadas na Areia!

 

Uma noite eu tive um sonho:
Sonhei que estava andando na praia com o Senhor, e através do céu, passavam cenas da minha vida. Para cada cena que se passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia; Um era meu e o outro era do Senhor. Quando a última cena da minha vida passou diante de nós, olhei para trás, para as pegadas na areia, e notei que muitas vezes, no caminho da vida, havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isto aconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos do meu viver. Isso aborreceu-me.

Então perguntei ao Senhor:
– Senhor, Tu me disseste que, uma vez que resolvesse Te seguir, Tu andarias sempre comigo, em todo o meu caminho, mas notei que durante as maiores tribulações do meu viver, havia apenas um par de pegadas na areia. Não compreendo porque nas horas em que mais necessitava de Ti, Tu me deixastes…

O Senhor respondeu:
– Meu precioso filho, eu te amo, e jamais te deixaria nas horas de tua prova e de teu sofrimento. Quando vistes na areia apenas
um par de pegadas, foi exatamente aí, que eu te carreguei nos Braços
.

 

As leituras deste 25º Domingo do Tempo Comum nos levam à reflexão sobre o lugar que o dinheiro e os outros bens materiais devem assumir na nossa vida. De acordo com a Palavra de Deus que nos é proposta, os discípulos de Jesus devem evitar que a ganância ou o desejo imoderado do lucro manipulem as suas vidas e condicionem as suas opções; em contrapartida, são convidados a procurar os valores perenes do “Reino”.

O profeta Amós denuncia os comerciantes sem escrúpulos, preocupados em ampliar sempre mais as suas riquezas, ou políticos que querem comprar o voto do pobre com um par de sandálias, os que apenas pensam em explorar a miséria e o sofrimento dos pobres. Amós avisa: Deus não está do lado de quem, por causa da obsessão do lucro, escraviza os irmãos. A exploração e a injustiça não passam despercebidas aos olhos de Deus.

O Evangelho apresenta a parábola do administrador astuto. Nela, Jesus ensina aos discípulos  que o dinheiro somente serve a Deus, quando é usado para promover a vida e para criar e fortalecer os laços de vivencia justa e fraterna.

Na segunda leitura, São Paulo convida os cristãos a fazerem de sua oração uma prece universal, onde caibam as preocupações e as angústias de todos os nossos irmãos, sem exceção, inclusive da política. Que os governantes levem vida tranqüila, serena, com piedade e dignidade para o seu próprio bem e dos que lhes estão confiados. O tema não se liga, diretamente, com à questão da riqueza  – que é o tema fundamental da liturgia deste domingo – mas um convite a não ficar fechado em si mesmo e a preocupar-se com as dores e esperanças de todos os irmãos; o discípulo é convidado a sair do seu egoísmo para assumir os valores duradouros do amor, da partilha, da fraternidade.

 

 
"FELIZ O FILHO QUE RETORNA À CASA DO PAI"
 

Nos diz o evangelho: O filho regressa a casa do pai e exclama : «Pai, pequei contra o céu e contra ti, já não mereço ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus assalariados.» […] Mas o pai foi a seu encontro quando ele ainda estava longe. «Quando ainda éramos pecadores, Cristo morreu por nós» (Rom 5, 8). O Pai acorreu ao nosso encontro[…] na pessoa do Filho, quando por Ele desceu do céu à terra. «O Pai que me enviou está Comigo», diz Ele no evangelho (Jo 16, 32). E abraçou o filho que retornava: O Pai nos abraçou quando, por Cristo, toda a Sua divindade desceu do céu e Se instalou na nossa carne. O Pai beijou seu filho arrependido. O Pai nos abraça e nos beija. Quando? Quando o amor e a misericórdia se encontram. Quando o Amor e a Misericórdia se encontram, a Justiça e a Paz se abraçam (Sl 84, 11).

O Pai mandou trazer ao filho a melhor túnica, a túnica que Adão tinha perdido, a glória eterna da imortalidade quando afastou-se da presença de Deus. Pôs um anel em seu dedo: o anel da honra, o título de liberdade, o especial penhor do espírito, o sinal da fé, a garantia das núpcias celestes. Ouve o que diz o apóstolo Paulo: «Desposei-vos com um único esposo, como virgem pura oferecida a Cristo» (2Cor 11, 2). O Pai calçou os pés de seu filho; para termos os pés calçados quando anunciamos a boa nova do evangelho, a fim de que sejam «os pés daqueles que anunciam a boa nova da paz» (Is 52, 7; Rom 10, 15).

Por ele mandou matar um novilho gordo. […] O novilho foi morto por ordem do pai porque Cristo, o Filho de Deus, não podia ser morto contra a vontade do Pai. Ouve novamente o apóstolo Paulo: «Ele não poupou o Seu próprio Filho, mas O entregou por todos nós» (Rom 8, 32).

O Pai continua alegrar-se e a festejar com cada filho e filha que vêem ao seu encontro. Ele nos abraça nos beija e nos oferece, não carne de novilho, mas seu Filho, que continua a ser ofertado em cada Santa Eucaristia.

 

 

     Deus  criou o ser humano para ser feliz. E isso hoje virou quase obsessão. São inúmeras as clínicas, igrejas, programas de Tv, livros que tratam desse assunto e procuram “vender felicidades”. E certamente Deus nos criou para sermos felizes. Jesus nos conduz neste caminho, mas quer nos livrar de ilusões: o caminho que leva a felicidade é estreito, nos alerta. Existe uma felicidade ilusória, porta larga e uma verdadeira, a porta estreita.

       

A felicidade ilusória é construída na areia movediça: do dinheiro, do poder, do prazer, da glória, da fama… E uma vida baseada nesses valores  nos torna  orgulhosos, egoístas, prepotentes, auto-suficientes. E  seguir Jesus no seu caminho de amor, da doação, do voluntariado, da entrega do dom da vida parece não ter sentido.

                 A verdadeira felicidade é construída sobre terreno firme da justiça do ensinamento de Jesus Cristo, dos apóstolos e dos profetas.

          Ela forma uma comunidade universal, à qual terão acesso todos os povos da terra, sem exceção. Todos são chamados a testemunhar a Boa Nova de Deus e serão convidados para o serviço de Deus, sem qualquer discriminação. Esses encontram a felicidade no  seguimento de Jesus no seu caminho de amor, de entrega do dom da vida doada, partilhada…

       A felicidade verdadeira é encontrada e vivida pelos cristãos que enfrentam com coragem os sofrimentos e provações, vêem neles sinais do amor de Deus que, que  forma, educa, corrige, mostra o  sentido de certas opções e nos prepara para sentar “à mesa no Reino de Deus”.

  


Somos convidados a seguir os passos de Jesus na prática das virtudes.

Conforme São Lucas, muitas vezes, Jesus adverte os discípulos sobre o perigo das riquezas, que podem nos levar à vaidade.

Os bens materiais não podem transformar-se em ídolos, nem estar a serviço do ter, do poder e do prazer.

“A vida de uma pessoa não consiste na abundancia de seus bens.” Diz Jesus.

E depois de contar uma parábola, acrescenta: “assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não é rico diante de Deus”.

Tudo  pode tornar-se vaidade quando a ganância toma conta do nosso coração e esquecemos as coisas do alto. Tudo passa, menos o bem que tivermos praticado.

Ser rico diante de Deus é fazer uso dos bens temporais com liberdade; é usar os bens materiais para fazer o bem. É cultivar as coisas do alto. É viver em Jesus Cristo. É fazer do senhor o nosso refúgio e nossa força. Para ele nos tornar sábio com sua palavra  e forte com a Eucaristia.

 

 

 
 
 
 
Esperamos que gostem de São Francisco e de Santa Clara, 
que passem a gostar aqueles que ainda não os conhecem,
 e os que conhecem que possam amá-los e seguir
os mesmos passos que eles seguiram, na trilha do Evangelho.
 
 
Paz e Bem !!!
 

Paz Ecológica

Senhor,
Fazei de mim um instrumento
De paz ecológica.

Onde há usinas soberbas,
Que eu monte pequenas geradoras
De energia hidráulica.

Onde há energia poluidora,
Que eu erga em cata-vento
Para a limpa energia eólica.

Onde o lixo avança ameaçador,
Que o converta em irmão lixo
Para a energia alternativa.

Onde o lucro exige pressa,
Que eu espere um milênio
Para a natureza morta produzir
Cinco centímetros de húmus.

Pois é respeitando a terra mãe
Que gozaremos de harmonia.
É morrendo à ganância e ao desperdício
Que viveremos como família de Deus,
Na festa da vida sem fim.

Arnaldo de Vidi


Referência: Agora vale a vida – Cid Moreira

 



Posso, tudo posso Naquele que me
fortalece
Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir
Quero, tudo quero, sem medo entregar meus projetos
Deixar-me guiar nos caminhos que Deus desejou pra mim e ali estar
Vou perseguir tudo aquilo que Deus já escolheu pra mim
Vou persistir, e mesmo nas marcas daquela dor
Do que ficou, vou me lembrar
E realizar o sonho mais lindo que Deus sonhou
Em meu lugar estar na espera de um novo que vai chegar
Vou persistir, continuar a esperar e crer
E mesmo quando a visão se turva e o coração só chora
Mas na alma, há certeza da vitória
Posso, tudo posso Naquele que me fortalece
Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir
Vou perseguir tudo aquilo que Deus já escolheu pra mim
Vou persistir, e mesmo nas marcas daquela dor
Do que ficou, vou me lembrar
E realizar o sonho mais lindo que Deus sonhou
Em meu lugar estar na espera de um novo que vai chegar
Vou persistir, continuar a esperar e crer …
Eu vou sofrendo, mas seguindo enquanto tantos não entendem
Vou cantando minha história, profetizando
Que eu posso, tudo posso… em Jesus!

Tudo Posso – Posso, tudo posso
Naquele que me fortalece
Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir
Quero, tudo quero, sem medo entregar meus projetos
Deixar-me guiar nos caminhos que Deus desejou pra mim e ali estar
Vou perseguir tudo aquilo que Deus já escolheu pra mim
Vou persistir, e mesmo nas marcas daquela dor
Do que ficou, vou me lembrar
E realizar o sonho mais lindo que Deus sonhou
Em meu lugar estar na espera de um novo que vai chegar
Vou persistir, continuar a esperar e crer
E mesmo quando a visão se turva e o coração só chora
Mas na alma, há certeza da vitória
Posso, tudo posso Naquele que me fortalece
Nada e ninguém no mundo vai me fazer desistir
Vou perseguir tudo aquilo que Deus já escolheu pra mim
Vou persistir, e mesmo nas marcas daquela dor
Do que ficou, vou me lembrar
E realizar o sonho mais lindo que Deus sonhou
Em meu lugar estar na espera de um novo que vai chegar
Vou persistir, continuar a esperar e crer …
Eu vou sofrendo, mas seguindo enquanto tantos não entendem
Vou cantando minha história, profetizando
Que eu posso, tudo posso… em Jesus!

 

Celina Borges

 

Entre amigos


O bom
amigo é como uma concha rara encontrada junto a uma praia tranqüila.
Quem descobre um amigo assim ganha
um presente inestimável de Deus.
Ter um amigo especial é uma verdadeira
bênção e prova que você também é especial.
Os amigos nos ajudam a nos conhecer
um pouco melhor, e a gostar de nós mesmos
um pouco mais.
Boas amizades iluminam a mente,
enriquecem o coração, dão brilho à vida,
dia após dia, ano após ano.
A amizadeé tão necessária quanto o sol,
tão constante quanto as estrelas e tão gratificante quanto a primavera
depois
de um longo inverno.
Ninguém sai pelo mundo afora à procura de amizade…
A amizade é algo que acontece
naturalmente, na hora certa, como o arco-íris no céu.
O mundo é tão amplo quanto o céu e tão infinito quanto as estrelas
cintilantes…
Quando duas pessoas se encontram na amizade fica evidente a intervenção
divina.

A amizade é uma brisa agradável que leva consigo uma minúscula semente
até o
lugar exato onde o amor precisa brotar.
Os amigos têm alguma coisa em seu caráter que admiramos e desejamos
acrescentar
às nossas vidas.
Entre amigos existe uma honestidade, rara em outros relacionamentos…
isso faz parte da magia da amizade.
Com um bom amigo, há uma interação incomparável.
Até partilhar o silêncio pode ser um prazer.
O esforço para superar as dificuldades deste mundo agitado e complexo
sobrecarrega nossos corações… a amizade ajuda a suavizar os obstáculos
da
vida.
Nas grandes amizades, o afeto imenso tudo perdoa e tudo supera.
Boas amizades não são medidas pela freqüencia de telefonemas, cartas ou
visitas… mas são reconhecidas pela intensidade do tempo e dos
sentimentos
partilhados.
Experiências partilhadas com confiança e cooperação tornam a amizade
autêntica
e profunda…
Entre amigos há lugar para a seriedade
assim como para a brincadeira, e inúmeras formas de demonstrar estima.
O tempo passa e rouba os dias e os anos.
As mudanças são muitas e freqüentes.
Elas sempre acontecerão… mas uma boa amizade dura a vida inteira.

Lynne Gerard

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.