Infelizmente alguns ainda participam do dízimo, motivados por segundas intenções, tais como, levar algum tipo de vantagem, obter um atendimento especial, por superstição, etc. Dízimo vivido desta forma não tem sentido. É apenas mais um gesto egoísta, que ao invés de fazer crescer, escraviza ainda mais.

Dízimo é partilha, é um gesto de amor, é gratuidade. Faço sem querer nada em troca. É algo que faço porque amo a Deus e acredito em minha comunidade, na construção de um mundo melhor e de uma sociedade mais justa e fraterna. Compreendido assim dízimo é libertação. Proporciona imensa alegria e uma inigualável sensação de liberdade.

 

 

Vanda Célia

MEAC – Taubaté/SP

Anúncios