Archive for fevereiro, 2010


Como Perdoar


Dez Regras Para Pôr Fim ao Ressentimento



  1. Quando alguém o magoa, ponha "iodo espiritual" na ferida imediatamente. Isto é, reze fervorosamente, caso contrário poderá ocorrer uma infecção.
  2. Se o ressentimento o tornou duro em seus pensamentos, aplique dreno nos agravos. Isto é, abra o seu coração para deixar que os agravos se encaminhe para fora dele.
  3. Faça isso desabafando o peso de suas queixas com um conselheiro de confiança, ou escreva uma carta à pessoa pela qual tem ressentimento. Depois, rasgue a carta e, com os pedaços de papel na mão, reze por aquela pessoa, perdoando-a.
  4. Tenha consciência do mal que o ressentimento lhe pode fazer, deixando até doente. Pense nisso toda vez em que um pensamento de ódio o assaltar.
  5. Não cesse de perdoar, mesmo tendo-o feito uma ou duas vezes. Faça isso, setenta vezes sete ou quatrocentas e noventa vezes…
  6. Pensar em perdoar não é o bastante. Deve chegar um momento específico no qual dirá: "Com a ajuda de Deus eu agora perdôo…".
  7. Repita o Pai Nosso, colocando nele o nome daquele que o ofendeu: "Perdoa-me minhas ofensas, assim como eu perdôo…"
  8. Reze pela outra pessoa, pedindo para ela bênçãos específicas, especialmente em relação a assuntos que previamente mais o aborreceram.
  9. Fale de maneira bondosa e agradável, tão frequentemente quanto possível, sobre  pessoa com a qual mantém diferenças.
  10. Faça um estudo sincero dos fatores que criaram tão infeliz relacionamento, de forma que o "ponto errado" que existe em você nunca mais se manifeste.

Moral da história: Permita que Jesus transforme a sua vida através do perdão. Seja canal de Graça Divina e, para que isso aconteça, basta você abrir o coraçãoe deixar que Deus restaure por completo a sua vida, e faça de você uma verdadeira testemunha do Seu Amor e da Sua Misericórdia…

Anúncios

Lembre-se




Se você está
cansado de trabalhar, lembre-se que um angustiado pede emprego.

Se você se decepcionou
com alguma coisa, lembre-se daquele cujo nascimento foi uma decepção.

Se você reclama de
uma comida mal feita, lembre-se daquele faminto que morre sem um pedaço de pão.

Se você anda
triste e aborrecido, lembre-se daquele que espera um sorriso seu.

Se um sonho foi
desfeito, lembre-se daquele que vive um pesadelo constante.

Se você tem um
trabalho que o esgota, uma comida para reclamar, um sonho para desfazer,

Lembre-se de
agradecer a DEUS, porque existem muitos que dariam tudo para ficar no seu
lugar. A vida não é um campo de batalha, nem um mar de rosas, mas um campo
aberto, onde cada um deverá erguer o seu próprio edifício na força e na graça
do Senhor.

S

e queres descobrir o amor
em teu ser, primeiro observa o nascimento das flores sobre as pedras, o
nascimento da borboleta em seu casulo tão limitado… Observa o sol nascendo e
iluminando o que há pouco era só escuridão…

Se queres conhecer o
amor, observa o movimento gracioso do vento por entre as flores e vê as
sementes sendo lançadas para outros solos, transformando-os, delicadamente, sem
pressa. Observa a generosidade com que a natureza te acolhe, mostrando com seus
movimentos a importância de te sentires como ela se sente.

Se queres sentir o amor,
olha para os teus irmãos com a disposição de, sem julgamento, vê-lo como eles
são. Olha para ti e aceita o que vem do teu coração.

Se queres compartilhar o
amor, apenas estende tua intenção e ela chegará ao mundo e a ti retornará,
trazendo-te as bênçãos de Deus que sorri com a tua conduta

Se queres prosseguir com
o amor, procura viver de acordo com as virtudes que te foram dadas por Deus…

Se queres sentir o
verdadeiro amor, entrega-te por completo nas mãos de Jesus e verás  o Milagre da vida acontecer em ti.


Para celebrarmos e vivenciarmos cada dimensão do único mistério de Cristo, a liturgia usa cores que marcam a diferença. Para a Páscoa, a cor branca diz que é festa e evoca a pureza; também para o Natal, festas de Maria e santos não mártires. Na Quaresma e Advento, a cor roxa (usada quando alguém morre) evoca Deus nos chamando à conversão em vista da Páscoa; ou Deus nos suscintando a expectativa da vinda do Salvador. A cor vermelha usada na sexta-feira santa, em Pentecostes e na festa dos mártires , evoca o fogo do Espírito Santo e o sangue derramado pela causa do Amor. A cor verde, no tempo comum celebra o cotidiano da presença do Ressuscitado caminhando conosco.

Fr. José Ariovaldo da Silva, OFM.
Petrópolis/RJ

Ao Iniciar a caminhada penitencial nesta quaresma retornamos alguns
gestos de piedade, os quais manifestam o íntimo do ser humano: a esmola,
um gesto de partilha, favorece a compaixão e relativiza o egoísmo. Pela
oração o ser humano se volta para Deus, reconhecendo-se a si mesmo como
criatura e a Deus como único absoluto. Através do jejum, privado de
algo necessário, deixa de lado o egocentrismo  se abre a perspectiva
para a realização da vida.
Ao vivenciar nossa piedade, de maneira secreta possamos viver uma vida
intensa de comunhão a capacidade de ir ao encontro dos irmãos e irmãs
carentes, aos quais se deve socorrer, sendo solidário e fraterno. Só
assim, "quem vê o que é feito em segredo, dar-nos-á a recompensa
esperada."


Ir. Sônia de Fátima Marani  Lunardelli, TCSF

Nas missas realizadas na Quarta-feira de Cinzas, os participantes são abençoados com cinzas. O padre sinaliza a testa de cada participante com cinzas ou as coloca sobre suas cabeças. Os cristãos normalmente deixam as cinzas em sua testa e nos cabelos até o pôr-do-sol, antes de lavá-los. Este simbolismo relembra a antiga tradição do Oriente Médio de jogar cinzas sobre a cabeça, como sinal de arrependimento perante Deus. As cinzas são obtidas pela queima dos ramos secos entregues nas paróquias e comunidades, que haviam sido abençoados e distribuídos no ano anterior no Domingo de Ramos.

Guia de Curiosidades Católicas, VOZES.

Lema: "Vocês não podem servir a Deus e ao Dinheiro"  (Mt 6,24)
Tema: Economia e Vida




Ó Deus criador, do qual tudo nos vem,
nós te louvamos pela beleza e perfeição de tudo
que existe como dádiva gratuita para a vida.

Nesta Campanha da Fraternidade Ecumênica,
acolhemos a graça da unidade e da convivência
fraterna, aprendendoa ser fiéis ao Evangelho.
Ilumina, ó Deus, nossas mentes para compreender que
a boa nova que vem de ti é amor, compromisso
e partilha entre todos nós, teus filhos e filhas.

Reconhecemos nossos pecados de omissão diante
das injustiças que causam exclusão social e miséria.
Pedimos por todas as pessoas que trabalham
na promoção do bem comum e na condução
de uma economia a serviço da vida.

Guiados pelo teu Espírito, queremos viver o serviço
e a comunhão, promovendo uma economia fraterna
e solidária, para que a nossa sociedade
acolha a vinda do teu Reino.

Por Cristo, nosso Senhor. Amém.

 

 
Há algo mais importante que a oração? Perguntou o discípulo ao mestre.
O mestre pediu que o discípulo fosse até um arbusto e cortasse um ramo. O discípulo obedeceu.
– A árvore continua viva? Perguntou o mestre.
– Tão viva como antes.
– Então vá até lá e corte a raiz.
– Se eu fizer isso, a árvore morrerá.
– As orações são os ramos de uma árvore, cuja raiz se chama fé, disse o mestre.
Pode existir fé sem oração, mas não pode existir oração sem fé.
 
Moral da história: Para que a nossa vida seja totalmente transformada, é preciso nos entregarmos por completo nas Mãos de Jesus. Por maior que seja a provação, os sofrimentos e tribulaçãoes, cabe a nós crermos na Infinita Misericórdia de Jesus e no Seu incondicional Amor.

 

 
No tempo de Jesus o dízimo e as ofertas eram praticadas por um grupo de judeus, mas não por todos.O povo escolhido estava submetido ao povo romano, a quem pagava taxas e impostos. Também havia as doações e ofertas destinadas à reconstrução do templo de Deus.Jesus faz  apenas duas referências ao dízimo (Mt 23,23-34; Lc 18,9-14), não para condená-lo, mas sim para lembrar que não basta apenas doar o dízimo se não se pratica o amor e a injustiça. A Lei tinha escravizado o povo, a quem era mais importante cumpri-la do que por meio dela chegar a Deus. Também na carta aos Hebreus (Hb 7,1-10) encontramos  referência ao dízimo. Em resumo, o Novo Testamentomostra Jesus libertando o povo do dízimo que escraviza e incentivando o dízimo que liberta.
 
 
Padre Cristóvão Iubel