Archive for maio, 2010


 
 
 
 

Desci à casa do oleiro a fim de encomendar um vaso.
No momento em que esperava para ser atendido, meus olhos admirados passeavam de um objeto a outro, encantados com sua beleza.
Foi quando reparei em um canto um pequeno pedaço de barro.
Pareceu-me abandonado.
Aproximei-me e, ali mesmo, fui testemunha de uma coisa espantosa.
Remodela-me, Senhor! – repetia com ar sofredor a pobre criatura.
Impressionado, dirigi-me ao oleiro:
Amigo, sempre apreciei teu trabalho. Como todos sabem, a melhor obra é a que sai de tuas mãos, no entanto, me recuso a acreditar que por mero descuido relegaste um pequeno pedaço de barro a mais triste solidão.
Ele me fitou em silêncio, a princípio pensei que fosse condenar minha aflição, mas após alguns minutos se pronunciou:
Caro amigo, aprecio tua preocupação, porém o pequeno barro de nada me serve, te garanto que não tem jeito não.
Como assim, me recuso a acreditar que tão hábil oleiro não saiba o barro aproveitar.
Julgaste-me mal. Este barro é que é um enganador, garanto que milhares de vezes o tomei entre as mãos e todas às vezes decepcionado, me vi forçado a abandoná-lo. É impossível trabalhar com ele, e se o deixo perto de mim é porque mesmo assim o amo de coração.
Mas que defeito tão grave é este?
É simples, não se deixa modelar.
Entendo! – exclamei desconcertado.
Neste dia, deixei a olaria pensativo. Quantas vezes pedimos, imploramos…
E não sabemos aproveitar as oportunidades que a vida nos dá.
Cada dia uma nova porta se abre à nossa frente. Cada dia somos chamados a fazer a experiência da Ressurreição.
Podemos aceitar o convite e caminhar ou ficar parado, olhando mais uma porta se fechar. Remodela-me, Senhor! – repetia o pequeno barro. Será que ele queria ser remodelado? E você?

 

Regina Célia Suppi
Concórdia – SC

Anúncios
 
 
 
 

Tua palavra é lâmpada para os meus pés, e luz para o meu caminho. (Sl 119, 105)
Tu és o meu refúgio e o meu escudo, eu espero pela tua palavra. (Sl 119, 114)
Sustenta-me, conforme a tua promessa, e eu viverei.
Apóia-me, e serei salvo e estarei
sempre atento aos teus estatutos. (Sl 119, 116)
Que o meu clamor chegue à tua presença, Javé!
Dá-me discernimento conforme a tua palavra!
Que a minha súplica chegue à tua presença!
Liberta-me, conforme a tua promessa!
Que os meus lábios publiquem o louvor, pois tu me ensinas os teus estatutos.
Que a minha língua cante a tua promessa, pois os teus mandamentos todos são justos.
Que a tua mão venha socorrer-me, pois escolhi os teus preceitos.
Eu desejo a tua salvação, Javé, e a tua vontade é a minha delícia.
Que eu possa viver para te louvar, e tuas normas me auxiliem. (Sl 119, 169-175)

  

Referência: Bíblia Sagrada – Tradução da CNBB – Cristal

 
 
 

Hoje direi a mim mesmo:
quero estar de bem com a vida,
e em paz comigo mesmo,
com as pessoas que me rodeiam
e as que estão distantes de mim.

Vou irradiar esperança e amor,
aliviar a dor de todos aqueles que se confiaram a mim.
O que de graça me foi dado, de graça será retribuído.

Não vou me queixar do passado,
daquilo que deixei de fazer e do que não deu certo.
Meu pensamento se eleva, meu viver se intensifica.
Caso eu venha a sofrer hoje algum impasse inesperado, hei de vivê-lo com naturalidade e agir com calma e sabedoria.

Que Deus me ajude a ser esta pessoa nova que nasceu para algo mais: ofereço o meu ombro amigo, quero que contem comigo para chorar, sorrir, viver, sonhar…
a partir de hoje, começo a renascer!

Luizinho Bastos

Oração pela Paz

 
 
 

Senhor, Deus da paz,
tu que criaste os homens, para serem
herdeiros da tua glória, nós te
bendizemos e agradecemos, porque nos
enviaste Jesus, teu Filho bem amado.

Tu fizeste dele, no mistério da sua Páscoa,
o artífice da nossa salvação,
a fonte de toda a paz,
o laço de toda a eternidade.

Nós te agradecemos pelos desejos, pelos
esforços, e pelas realizações, que o teu
Espírito de paz suscitou em nossos dias,
para substituir o ódio pelo amor,
a desconfiança pela compreensão,
a indiferença pela solidariedade.

Abre mais ainda os nossos espíritos e os
nossos corações para as exigências concretas
do amor de todos os nossos irmãos,
para que sejamos cada vez mais
artífices da paz.

Lembra-te, ó Pai, de todos os que lutam,
sofrem e morrem pela construção
de um mundo mais fraterno.
Que para os homens de todas as raças e
de todas as línguas venha o teu reino
de justiça, de paz e de amor.

Paulo VI

 
 
 
 

"Do Senhor é a terra com tudo o que ela contém". Sl. 24,1

Pelas flores que se abrem a nossos pés,
Pai, damos graças a ti.
Pela relva suave, tão verde e tão tenra,
Pai, damos graças a ti.
Pelo canto das aves e o mel das abelhas, Por tudo o que vemos e ouvimos de belo, Pai, celeste, damos graças a ti.

Pelo azul do céu e pelo azul do mar,
Pai, damos graças a ti.
Pela sombra amena dos altos ramos,
Pai, damos graças a ti.
Pelo ar perfumado e o frescor da brisa,
Pela beleza das árvores floridas,
Pai celeste, damos graças a ti.

Pela manhã que nasce com a sua luz,
Pai, damos graças a ti.
Pelo abrigo e o repouso da noite,
Pai, damos graças a ti.
Pela saúde e alimento, pelo amor e amizade,
por tudo o que nos envia a tua bondade,
Pai celeste, damos graças a ti.

Ralph Waldo Emerson
Do livro: As mais belas orações – Paulinas

 
 
 
 

Um sorriso não custa nada, mas cria muitas coisas. Dura só um momento, mas sua lembrança perdura pela vida a fora.

Não se pode comprá-lo, mendigá-lo, pedi-lo emprestado ou roubá-lo. Não tem utilidade enquanto não é dado.

E por isso se no seu caminho encontrares uma pessoa por demais cansado para lhe dar um sorriso, deixe o seu, pois ninguém precisa tanto de um sorriso quanto aquele que não tem mais um a oferecer.

Seu sorriso será precioso para esta pessoa que no momento que ela receber,  sentirá a magia da felicidade incendiar o viver e por gratidão lhe retornará um belo e meigo sorriso.

Por isso, conserve este brilho de alegria em seu rosto, pois mesmo que você não perceba através do seu sorriso, você transmite para as pessoas que caminham ao seu lado força, alegria e coragem!